Tributos no Agro

Opinião - Planejamento tributário: o novo salto de rentabilidade para o agronegócio

O setor tem questões tributárias específicas e não pode ser tratado de forma generalizada
Quinta-feira 31 de Dezembro de 2020
Adriely Costa
Opinião - Planejamento tributário: o novo salto de rentabilidade para o agronegócio

A atividade econômica mais importante do país é o agro e esse título não veio à toa. Nas últimas décadas o setor investiu em tecnologia, aumentou a produtividade com responsabilidade ambiental e passou a fazer uma gestão profissional da atividade com inovação e renovação de conhecimento por parte dos empresários rurais.

Mas, assim como todos os demais segmentos econômicos nacionais, o agro não está isento dos impactos de uma das mais altas cargas tributárias do mundo. Se o desempenho no campo já é parte de uma rotina diária de superação de produção e recordes de safra, o planejamento tributário é a nova seara para tornar as empresas rurais mais competitivas e com maiores chances de sobrevivência e desenvolvimento, interna e externamente. 

E onde impacta o planejamento tributário? Com o estudo detalhado dos encargos fiscais e tributários as empresas podem evitar a incidência de tributo, reduzir o montante a ser pago e retardar pagamentos sem ocorrência de multa.

O setor tem questões tributárias específicas e não pode ser tratado de forma generalizada. Cada ramo de atuação no agro e as características de cada propriedade são determinantes para escolher o melhor modelo de contabilização a ser adotado.

Receitas operacionais, despesas de custeio e investimentos englobam uma série de peculiaridades que podem ir desde a demarcação de terrenos, passando por aquisição de tratores e equipamentos, benfeitorias de construções, até formação de técnicos para desempenhar as atividades. Quando tratadas de acordo com as especificidades tributárias do setor, o produtor rural está fazendo muito mais do que a gestão de custos, está atuando de forma estratégica.

O mercado é cada vez mais competitivo e a profissionalização da gestão é primordial para a sobrevivência. O agro tem olhado com cada vez mais interesse para esse caminho e já acumula bons exemplos de atuação profissional na área tributária.

A economia de tributos se vale de instrumentos lícitos do direito e dá suporte para o produtor rural. É com informação estratégica que se constrói o diferencial. O planejamento tributário é uma das práticas mais importantes na gestão empresarial dos dias atuais porque permite maior competitividade e retorno para o capital investido. 

O agro vai continuar crescendo e sendo importante para o Brasil. O planejamento tributário vai ser uma seara cada vez mais importante para a administração das propriedades, permitindo a tomada de decisões acertadas para obter o máximo de eficiência e lucratividade no agronegócio.

Adryeli Costa é advogada sócia do escritório Costa Assessoria Jurídica

Leia mais: Agronegócio deve ter crescimento de 1,5% no PIB em 2020, segundo IPEA


COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS