Entrevista

Apesar da divergência política com o governo estadual, Emanuel diz que Cuiabá 'bombou' em sua gestão

O prefeito disse na entrevista ao MT Econômico que Cuiabá ‘bombou’ e que é um canteiro de obras.
Terça-feira 10 de Novembro de 2020
Entrevista MT Econômico
Apesar da divergência política com o governo estadual, Emanuel diz que Cuiabá 'bombou' em sua gestão

Aos 55 anos, Emanuel Pinheiro (MDB) tenta a reeleição à prefeitura de Cuiabá. Decisão tomada às vésperas da campanha eleitoral, já que até junho deste ano ele não definia se seria ou não candidato. Emanuel lançou também seu filho, o deputado federal Emanuelzinho, como candidato ao pleito na cidade vizinha, Várzea Grande. 

Pinheiro fez uma gestão considerada boa e elogiada por muitos cuiabanos, pautada em obras e intervenções urbanas estruturantes, necessárias para a capital de Mato Grosso. Também agradou boa parte dos servidores públicos municipais, com salários rigorosamente em dia e concessão de recomposição salarial. 

Durante seus quatro anos de gestão, foi adversário político dos dois governadores do período, o ex-governador Pedro Taques (2015 a 2019) e o atual chefe do Executivo, Mauro Mendes (DEM), com o qual trava quase que diariamente, bate bocas e troca de acusações, algumas delas extremamente infantis de ambos os lados. Apesar dar divergências políticas com o governo do Estado, por duas gestões (Taques e Mauro) o prefeito disse na entrevista ao MT Econômico que Cuiabá ‘bombou’ e que é um canteiro de obras.

Embora o atual prefeito tenha feito inúmeras obras, teve uma gestão marcada pela prisão e o afastamento de secretários municipais, acusados de corrupção e improbidade administrativa, além de embates ferrenhos com alguns vereadores. 

O prefeito passou os quatro anos de sua gestão sob a sombra do vídeo – divulgado logo no início do mandato - que o mostra recebendo dinheiro do chefe de gabinete do ex-governador Silval Barbosa. Segundo o ex-governador seria o pagamento do “mensalinho” que era dado aos deputados estaduais para garantir a aprovação de projetos. Emanuel Pinheiro alega que era pagamento de uma dívida. A Justiça ainda não se pronunciou sobre o caso, mas a Câmara de Cuiabá abriu um processo de impeachment, arrastado e desgastante, finalizado somente no início deste ano, do qual o atual prefeito saiu vitorioso. Mesmo diante dos fatos, o vídeo por um lado não fez diminuir sua popularidade, mas fez crescer sua rejeição nas pesquisas de opinião pública. Digamos que seria uma relação de amor e ódio dos cuiabanos com Emanuel Pinheiro.

As recentes pesquisas eleitorais indicam que Emanuel Pinheiro está disputando o segundo turno, com o ex-prefeito Roberto França (Patriota) e com Gisela Simona (Pros). Nesta entrevista ao MT Econômico, o prefeito de Cuiabá fala da retomada econômica da capital, após o período mais difícil da pandemia da Covid-19, com fechamento do comércio durante semanas, e se defende das acusações, por parte dos adversários, de que teria “quebrado” financeiramente a prefeitura de Cuiabá. 

Confira na íntegra entrevista

Como está a situação financeira da prefeitura de Cuiabá hoje? Recentemente o governador Mauro Mendes disse que Cuiabá está "quebrada".

Candidato Emanuel Pinheiro: Os nossos adversários, incluindo o ‘desesperado’ governador do Estado, não tendo no que atacar a gestão, surpreendidos por uma gestão popular, uma gestão humanizada de entregas de realizações em todas as áreas e em todas as regiões da cidade, tentam a todo momento inventar histórias, criar fake news, tentando justificar o injustificável. Cuiabá não para. O serviço público da Prefeitura Municipal melhorando a cada dia, a cada, semana, a cada mês e a cada ano,  e o que é mais importante chegando lá na ponta, melhorando a vida das pessoas e transformando  a nossa cidade em uma cidade mais bonita, mais moderna, com mais qualidade de vida, uma cidade muito melhor para se viver. Então, inconformados com isso, os adversários começam a inventar, atacar a gestão que está com suas contas equilibradas, os salários rigorosamente em dia. Os direitos conquistados dos servidores respeitados, a cidade com capacidade de endividamento, com capacidade de pagamento.

O limite da folha de pagamento do último quadrimestre atingiu 47,3%, ou seja longe, do limite prudencial que é 51,3%, com uma folga muito grande em relação ao limite de gasto com pessoal de 54%. Isso é gestão. Isso é responsabilidade fiscal. Isso é ajuste das contas públicas que recebemos sem planejamento e desordenadas na nossa capital. Esse poder e essa condição de boa gestão fiscal em Cuiabá fazem com que a nossa cidade passe a ser procurada por instituições financeiras, tanto nacionais como estrangeiras, com intuito de emprestar dinheiro para Cuiabá. Para potencializar, para fomentar o desenvolvimento da nossa cidade, porque sabem que Cuiabá tem gestão, tem boa gestão fiscal, tem equilíbrio das contas públicas, que Cuiabá tem capacidade de endividamento porque está bem gerida e ter capacidade de pagamento. Ninguém empresta dinheiro para inadimplente, ninguém empresta dinheiro para quebrado. Você só busca fazer bons negócios com quem tem responsabilidade e tem boa saúde financeira. 

A própria situação de Cuiabá hoje, que tem obras, ações, programas e projetos em todos os cantos da cidade, em todas as áreas da gestão, demonstra a saúde e a boa saúde financeira do município. Associado a isso a estabilidade na folha de pagamento e na prioridade que damos ao direito de conquista dos servidores municipais. 

MT Econômico: Muitas obras estão sendo realizadas, com que recursos estas obras estão acontecendo e qual nível de endividamento da prefeitura?

Candidato Emanuel Pinheiro: A capacidade de endividamento do município é de cerca de R$ 2,5 bilhões da nossa gestão. O comprometimento que já vinha de gestões passadas, mais o da nossa gestão, que somam hoje 32% a 35% por cento no máximo. Ou seja, uma folga, uma margem de segurança muito grande, mantendo o equilíbrio e o ajuste nas contas públicas. Cuiabá teria condições de emprestar muito mais, porque tem boa saúde financeira, capacidade de endividamento e capacidade de pagamento. O nosso comprometimento hoje chega na casa, do máximo de 35%, o que garante uma total segurança na forma como Cuiabá está sendo gerida, com total responsabilidade fiscal. 

MT Econômico: O que o prefeito pode fazer para atrair novos investidores para a capital? Quais projetos previstos podem despertar interesse na classe empresarial nos próximos anos? 

Candidato Emanuel Pinheiro: Estamos buscando políticas de atração de investimentos, seja através de isenções no IPTU, no ISS ou nas poucas condições que o município tem de atrair grandes investidores, especialmente indústrias para Cuiabá, estamos buscando fomentar uma parceria com o estado, ou com o próprio Governo Federal, a atração de novos investimentos para a nossa capital. Tenho me pautado em um trabalho gigante, ao lado do nosso secretário de Turismo, Cultura e Esportes, Francisco Vuolo, na garantia de que um ramal da ferrovia passe por aqui. Ou seja, a ferrovia que já está em Rondonópolis, possa passar por Cuiabá e com isso trazer o desenvolvimento e a explosão econômica da nossa cidade, como geração de emprego e renda, promovendo um desenvolvimento econômico fantástico na nossa capital. 

São linhas que Cuiabá deve liderar. Nós estamos buscando liderar essas frentes, principalmente com a ótima relação que temos com o Governo Federal e com a bancada federal de Mato Grosso, para projetar o desenvolvimento de Cuiabá para os próximos 30 anos, ou seja, a Agenda 21 que foca Cuiabá para o ano 2050. 

MT Econômico: Como a prefeitura pode ajudar economicamente a população neste momento, em que a pandemia provocou desemprego e o fechamento de negócios, principalmente nos setores do comércio e serviços? Quais os projetos e programas que ajudem na geração de emprego e renda?

Candidato Emanuel Pinheiro: A Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), a respeitada Fundação Fiocruz e o Ministério da Saúde afirmaram em relatório que Cuiabá, graças às medidas da Prefeitura Municipal e da minha atuação direta, liderando todas as medidas, teve um índice altamente elogiável no combate e enfrentamento à Covid-19, optando por cuidar e preservar a saúde e a vida das pessoas.  Que essa postura minha de prefeito e da prefeitura foi fundamental para evitar que um mal muito maior acontecesse com a população cuiabana, principalmente o aumento no número de casos. Graças a Deus agimos rápido, em tempo, e sempre preocupados com a saúde com a vida da população. Então, agora, eu como prefeito, que comandou esse enfrentamento à Covid-19, que tem experiência, que tem articulação política, tanto com a bancada federal como com o Governo Federal, que tem projetos, me considero o mais preparado para o período pós pandemia. 

Temos um projeto claro, que está sendo apresentada à sociedade, chamado de PPP (Programa Pós-Pandemia), que será o maior programa de recuperação econômica da história de Cuiabá, para gerar emprego e renda, dando oportunidades para os trabalhadores. Com a pandemia veio o desemprego, caiu a renda, veio o desespero e muita gente está desamparada. Também com a pandemia muitos comércios e empresas praticamente fecharam as portas. Então nós vamos criar um programa que visa, exatamente, amparar e fomentar as micro, pequenas e médias empresas e comércios de Cuiabá. 

O programa Pra Frente Cuiabá, um programa com uma linha de crédito no valor de R$ 35 milhões, com carência de 1 a 2 anos e prazo de seis a oito anos para pagar. Hoje, a micro, pequena e média empresa ou o micro, pequeno e médio comerciante, penalizado pela pandemia, que teve suas portas praticamente fechadas poderão adentrar nesse programa. A prefeitura pagará os juros, as empresas e comerciantes vão pagar apenas o capital. Com isso, nós vamos fomentar o reaquecimento da economia cuiabana, vamos gerar emprego, vamos gerar renda e dar perspectivas e esperanças para milhares de trabalhadoras e trabalhadores abonados. 

Associado a isso, o comércio ou a empresa que tiveram suas portas praticamente fechadas durante a pandemia, terão isenção, ou desconto, ou parcelamentos tanto do IPTU, como do alvará de funcionamento. De acordo com a condição daquele estabelecimento comercial ou empresarial, poderemos até dar a isenção total do IPTU ou do alvará de funcionamento. Estamos criando também, em parceria com o Senai, o Qualifica Juventude. Vamos abrir cinco mil vagas e qualificar cinco mil jovens para os próximos quatro anos em Cuiabá. Serão qualificações nas mais diversas atividades, para que os jovens tenham condições de superar as dificuldades do primeiro emprego. 

Essas são algumas das medidas do maior programa de recuperação econômica de Cuiabá, o Programa Pós-Pandemia. Temos experiência, relação política e preparo para apresentar e desenvolver esse trabalho para recuperar a economia de Cuiabá, gerar emprego, renda e esperanças para as trabalhadoras e os trabalhadores cuiabanos. 

MT Econômico: A divergência política entre prefeito e governo tem prejudicado Cuiabá? Em quais pontos? O município poderia estar recebendo mais investimentos por parte do estado?

Candidato Emanuel Pinheiro: Nós fomos eleitos na oposição ao ex-governador Pedro Taques, administramos os dois primeiros anos em oposição ao governador Pedro Taques, e depois veio o governador Mauro Mendes e administramos os dois últimos anos com ele. E Cuiabá 'bombou'. Cuiabá é canteiro de obras, ações, programas e projetos em todas as áreas da gestão, e em todas as regiões da cidade. Cuiabá não para, sempre administrando dos bairros para o centro, priorizando os mais humildes, priorizando os mais carentes. Cuiabá é um canteiro de obras. Nossa cidade está se desenvolvendo, está crescendo, o serviço público está chegando de forma mais eficiente e humanizada lá na ponta, melhorando a vida das pessoas, e fazendo de Cuiabá uma cidade mais humanizada, mais bonita, e melhor para se viver. 

Avançamos muito, mas é claro que a população merece muito mais. Precisamos avançar muito mais, ainda temos inúmeros desafios pela frente e nós vamos enfrentar um a um, vamos avançar naquilo que já fizemos que é concreto e palpável, a população está vendo as entregas e realizações da nossa gestão. Isso não interferiu, se o prefeito é ligado ao governador ou não, se é amigo ou adversário, tudo aquilo que for de interesse de Cuiabá, tudo aquilo que for bom para a população urbana terá o apoio total do prefeito Emanuel Pinheiro, independente se é amigo ou adversário do governador do Estado. 

Outra coisa, o governador do Estado não tem compromisso comigo, seja ele quem for, o governador do Estado tem compromisso com Cuiabá, com a população, independente de quem seja o prefeito. Esse compromisso tem que ser cumprido. Tudo que for para Cuiabá, para a população cuiabana eu vou cobrar do Governo. 

MT Econômico: Quais as suas expectativas na relação com a Câmara Municipal para o próximo mandato? Espera mais tranquilidade para os próximos quatro anos?

Candidato Emanuel Pinheiro: A questão de ser mais tranquila ou não, não é o fato. O necessário é elevar o nível da Câmara. Infelizmente, a renovação dessa Legislatura que está se encerrando foi de baixíssima qualidade. Se renovou mais com um grupo de vereadores um pouco mais jovens, de idade ou de primeiro mandato, de baixa qualidade, sem nenhum preparo, sem nenhuma qualificação, sem nenhuma qualificação política, sem nenhuma qualificação pessoal, sem nenhuma qualificação emocional, sem nenhuma qualificação de caráter mesmo. Esses vereadores acabaram se agrupando na oposição, e não é porque a oposição não, porque quando oposição tem nível, tem consistência, tem preparo, eu sou o primeiro a reconhecer. Mas o interesse foi prejudicar Cuiabá, prejudicar o prefeito, prejudicar a gestão, não se importando se a população cuiabana iria perder com isso ou não. Isso é revoltante e a população vai saber dar resposta das urnas estes péssimos políticos, péssimos representantes do povo, que tentaram atrapalhar a gestão, popular, democrática, inclusiva, que pensa na cidade, que ama a cidade. Estes vereadores foram vencidos, a gestão realizou, fez entregas, continua trabalhando, continua fazendo entregas, continua realizando. Torço para que os vereadores, principalmente os da base aliada, que mostraram compromisso com a população, que mostram representatividade popular, respeito e prioridade pelos mais carentes, respeito com a sociedade, respeito com o setor produtivo, respeito com quem gera emprego e renda, se reelejam. Tenho certeza que vamos ter uma Câmara muito melhor, com um nível muito melhor, inclusive dos reeleitos e também com os novos vereadores.

Veja também nessa série de entrevistas especiais:

Entrevista com candidato Roberto França (publicada 09/11)

Entrevista com candidata Gisela Simona (será publicada 11/11)

Entrevista com candidato Abílio Junior (será publicada 12/11)

Outras notícias sobre Cuiabá e Mato Grosso clique aqui


COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS