fbpx
Com resiliência à pandemia e vocação agrícola, Mato Grosso está pronto para receber investidores, afirma César Miranda

O secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec), César Miranda disse ontem (2) em entrevista à imprensa, que Mato Grosso está pronto para receber investidores. Mato Grosso foi um dos estados que menos sofreu economicamente em 2020 com os efeitos do coronavírus, inclusive a arrecadação estadual cresceu 16,33% durante a pandemia, conforme noticiado pelo MT Econômico neste link.

Com vocação agrícola, o Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) do Estado nacionalmente, foi de R$ 134,3 bilhões, o que corresponde a 15,4% do total nacional, que foi de R$ 871,3 bilhões.

O agronegócio impulsiona também outros segmentos relacionados, como usinas de etanol de milho, por exemplo. “Nos últimos anos, houve um investimento maciço nas usinas de etanol de milho, hoje temos nove indústrias operando no Estado. A partir daí, criam-se cadeias produtivas, como de reflorestamento, por exemplo, aumenta-se a área plantada de milho. Tudo isso, com a parceria do Estado faz a agricultura de Mato Grosso mais pujante e interfere positivamente no VPB”, disse César Miranda.

Com tanto potencial, Mato Grosso despertou atenção do presidente Jair Bolsonaro, que veio em outubro do ano passado visitar uma planta de etanol de milho em Sinop. Veja mais aqui.

No entanto, Mato Grosso tem seus desafios, principalmente relacionados à logística e escoamento da safra que vêm sendo minimizados com a expansão da malha ferroviária, reforma e construção de novas estradas.

“Existem ferrovias que são relevantes para o transporte de cargas, como a Ferrogrão, que vai de Sinop a Miritituba (PA), e também a Ferrovia de Integração Centro Oeste (FICO), do estado de Tocantins até Lucas do Rio Verde, além da Ferronorte, que sai de Rondonópolis e se integra à Malha Paulista, levando a produção aos portos do Sudeste e do Sul – e há projeto de investimento para ampliação dos trilhos até o município de Nova Mutum”, comenta o secretário.

O secretário de Desenvolvimento Econômico também ressaltou a possibilidade do modal aquaviário, pelo Rio Paraguai, em Cáceres. “Há um porto operando e o Governo do Estado tem investido recursos na construção da Zona de Processamento de Exportações (ZPE) que facilita aos investidores. Assim, trabalhamos em várias frentes para tornar Mato Grosso mais atrativo para negócios”.

Relações internacionais

Mato Grosso está conquistando cada vez mais mercado internacionais, sendo a China um dos principais parceiros comerciais. “Nossa relação comercial com a China deve crescer nos próximos anos, pois a classe média do País está aumentando e o mercado consumidor cresce. Estão aumentando o rebanho de suínos e terão que consumir cada vez mais soja e milho para transformar em ração”, explica Miranda. Além disso, o Estado também trabalha com outros mercados asiáticos e do Oriente Médio.

Leia mais: Governador de Mato Grosso fortalece relações comerciais com o Irã