Fiscalização

Comerciantes e produtores rurais devem ficar atentos à validade dos medidores de umidade de grãos

Medida faz parte da Portaria nº 104 do Inmetro e o procedimento de aferição, que é realizado no laboratório do Ipem, em Cuiabá, custa R$ 402,00
Sexta-feira 05 de Março de 2021
Tuani Nunes
Comerciantes e produtores rurais devem ficar atentos à validade dos medidores de umidade de grãos

Os comerciantes que utilizam medidores de umidade de grãos devem se atentar ao prazo de validade dos aparelhos. Caso contrário, poderão ser notificados pelo Instituto de Pesos e Medidas de Mato Grosso (Ipem – MT).

A medida faz parte da Portaria nº 104 do Inmetro e o procedimento de aferição, que é realizado no laboratório do Ipem, em Cuiabá, custa R$ 402,00. 

“Estes medidores são importantes para a comercialização de grãos, pois medem o teor de água. Então, quando é feita a operação, dá mais confiabilidade para o consumidor”, explica o presidente do Ipem – MT, Bento Bezerra. 

“É importante que todos façam o ensaio de calibração, para ter a certeza de que estão informando a umidade correta”, completa Bezerra. 

Os medidores fabricados nos anos de 2003, 2004 e 2007 necessitam de fiscalizações imediatas ou serão retirados do mercado. Além disso, é importante que haja o selo do Inmetro no produto. 

Os medidores fabricados entre os 01/01/2008 e 31/12/2011 podem estar no mercado até final do ano, enquanto que os de 01/01/2012 e 31/12/2014 estarão vencidos em 2024. 

“Já foi feito um acordo entre o Ipem a Associação dos Produtores e Soja de Milho do Estado de Mato Grosso (Aprosoja) para segurar a fiscalização até junho, por isso, agora cabe os comerciantes fazerem sua parte”, finaliza o presidente do Ipem - MT.

Leia mais: Conab abre edital a cooperativas e associações de autônomos para remoção de milho


COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS