Transporte Coletivo

Emanuel Pinheiro acusa Mauro Mendes de não se preocupar com os usuários de transporte coletivo de Cuiabá

A prefeitura da capital fez uma contranotificação ao governo dizendo que não vai atender o pedido de suspensão da renovação da frota
Segunda-feira 11 de Janeiro de 2021
Redação MT Econômico
Emanuel Pinheiro acusa Mauro Mendes de não se preocupar com os usuários de transporte coletivo de Cuiabá

O prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro acusou o governador de Mato Grosso, Mauro Mendes de não se preocupar com os usuários do transporte coletivo. Na semana passada, Mendes encaminhou uma notificação para Pinheiro suspender a renovação da frota de ônibus de Cuiabá.

A justificativa do governo estadual é de que é preciso concluir o plano de mudança do Veículo Leve Sobre Trilhos para o Bus Rapid Transit (BRT). A notificação visava minimizar os custos com a desmobilização de parte da frota atual, uma vez que a frota do BRT será adquirida pelo governo estadual e entregue aos municípios e à Ager, e que, posteriormente, serão incorporadas nos respectivos contratos de concessão.

Leia também: Em primeira votação, ALMT aprova aditivo que dá autonomia para o governo trocar o VLT pelo BRT

No entanto, a prefeitura da capital fez uma contranotificação ao governo dizendo que não vai atender o pedido de suspensão da renovação da frota. “Entendo que a maioria das autoridades públicas não utiliza o transporte público como meio de locomoção e isso não é um problema. O problema é não demonstrar nenhum tipo de sensibilidade com o drama dos mais de 260 mil usuários que, diariamente, dependem exclusivamente desse meio para trabalhar, estudar ou ter um momento de lazer com sua família”, disse Pinheiro.

Segundo apurado pelo MT Econômico, Cuiabá conta com 382 ônibus que atendem as quatro regiões da cidade. No cronograma de renovação de frota, a prefeitura municipal disse que a partir de maio, 111 novos ônibus serão entregues. Além disso, também neste curto prazo, mais 90 veículos terão ar-condicionado. Ou seja, serão 201 veículos climatizados, o que corresponde a mais de 50% da frota. A meta é chegar a 75% em 2022 e 100% nos anos seguintes.

Clique aqui e veja mais notícias de política e desenvolvimento


COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS