fbpx
Mato Grosso recebe visita de Embaixador do Reino Unido para conhecer projetos sustentáveis

O embaixador do Reino Unido no Brasil, Peter Wilson, percorreu no último sábado (05.06) as cidades de Alta Floresta e Juruena, acompanhado dos secretários de Estado de Agricultura Familiar, Silvano Amaral, e Meio Ambiente, Mauren Lazzaretti, e da assessora de Assuntos Internacionais da Casa Civil, Rita Chiletto.

A passagem pela região norte do Estado foi para conhecer de perto alguns projetos desenvolvidos pelo programa REM Mato Grosso, ação realizada pelo Governo do Estado, em parceira com o Fundo Brasileiro para a biodiversidade (FUNBIO), que conta com investimentos da Alemanha e do Reino Unido visando o combate ao desmatamento ilegal e a preservação das florestas mato-grossenses.

A primeira visita do embaixador do Reino Unido em Mato Grosso foi em Juruena (886 km de Cuiabá), na Cooperativa dos Agricultores do Vale do Amanhecer (COOPAVAM). Nessa parada, Peter Wilson conheceu o trabalho desenvolvido pelos cooperados, formados em sua grande maioria por mulheres e indígenas inseridos na agricultura familiar, que cultivam castanha-do-pará. Com a produção da oleaginosa, eles produzem óleo, farinha, castanha torrada e outros derivados. Atualmente a COOPAVAM, além de Juruena, comercializa a sua produção nos municípios de Juína, Castanheira, Cotriguaçu, Colniza, Aripuanã, Juara e Brasnorte.

Já em Alta Floresta (791 km de Cuiabá), o emissário do Reino Unido esteve com pequenos agricultores da Comunidade de Nossa Senhora de Guadalupe, conhecida como a Pedra do Índio, localizada na zona rural do município. A primeira propriedade visitada foi de Aldeildo Spoletto, que integra a Associação de Produtores Orgânicos da Amazônia Mato-grossense, responsável por atender 640 famílias da agricultura familiar na região. A chácara do senhor Adeildo Spoletto possui mil pés de café, três vacas leiteiras e uma dela parte dedicada à plantação de hortaliças (couve, cebolinha, alface). Nela o cultivo é pautado pela lógica agroflorestal, em que os pés de bananeiras servem de sombra para os pés de café, e que os adubos em volta da cafeicultura são orgânicos.

Ao final das visitas, o embaixador do Reino Unido constatou que os recursos internacionais que estão sendo injetados em Mato Grosso, por meio da implementação do programa REM Mato Grosso, vêm sendo bem aplicados. Ele pontua que “a adaptação de plantar pé de mamão em volta da cafeicultura é muito inteligente aos efeitos das mudanças climáticas no Brasil”.

A coordenadora do Programa Negócios Sociais, instituída pelo Instituto Centro Vida (ICV), Camila Rodrigues destaca a importância de o embaixador ter essa iniciativa de conhecer de perto os incentivos que o Reino Unido vem fazendo para esses programas.

“Para nós é um grande resultado não só de poder ser um beneficiário de um projeto, como de acompanhar a construção desde o início e ver que agora o recurso está chegando em quem precisa e que está fazendo a transformação em campo, então acho que a visita dele é importante para mostrar isso, que o recurso vem sendo bem implementado, que a gente vem nessa parceria, nesse diálogo sociedade civil e governo, na construção dessas políticas, apoiando toda essa rede de agricultores da região”.

Segundo o secretário Silvano Amaral, Mato Grosso produz com responsabilidade social e ambiental, especialmente com foco na agricultura familiar. “O embaixador pode ver dois grandes exemplos de responsabilidade social ambiental, como no caso da COOPAVAM que reúne o trabalho de mulheres e indígenas, e o da propriedade do senhor Adeildo, que tem demostrado ser possível produzir e preservar ao mesmo tempo”, completa o secretário.

Silvano Amaral finaliza dizendo que a Agricultura Familiar tem gerado bons resultados em pequenos espaços de terra, aliada com tecnologia, irrigação e assistência técnica, dando condições para que o pequeno produtor com pequeno espaço de terra possa ter a sua renda garantida”.

Leia mais: Gergelim de Mato Grosso já é exportado para o Japão

Tagged: , , , , ,