PIB de Mato Grosso foi o que mais avançou no País entre 2002-2019

O saldo do Produto Interno Bruto (PIB) de Mato Grosso segue sendo o de maior evolução no País, atingindo mais de 130% na série 2002-2019, conforme dados atualizados e divulgados pelo IBGE. Em 2019, as riquezas produzidas no Estado somaram mais de R$ 142 bilhões. A performance da economia local não contabiliza os efeitos causados pela pandemia do novo coronavírus, a partir de 2020.

Em termos de variação em volume, a economia cresceu 4,1%, entre 2018 e 2019, ao passar de R$ 137,44 bilhões para R$ 142,12 bilhões. A Agropecuária foi o segmento econômico que mais cresceu: 11,5%.

Na comparação anual, Mato Grosso teve a segunda maior evolução do País, atrás somente de Tocantins, cuja ascensão foi de 5,2%. O PIB mato-grossense está acima da variação nacional no período, em 2,3% e ocupa a segunda posição do ranking entre as 13 Unidades da Federação com crescimento acima da média nacional.  

Conforme o IBGE, o PIB da economia de Mato Grosso foi estimado em R$ 137,44 bilhões no ano de 2018, enquanto em 2017 o valor foi de R$ 126,85 bilhões. Em termos de variação em volume, houve crescimento de 4,3% em 2018, a terceira maior variação do ano entre as 27 Unidades da Federação.

Na análise de desempenho em volume ao longo da série 2002-2018, o Mato Grosso também se destacou, com a maior variação acumulada entre os entes federativos: 121,3%.

Leia também: Selo é concedido em MT aos que neutralizarem emissões de carbono

DESENHO DO PIB – A Agropecuária registrou crescimento de 11,5% em 2019, em relação ao ano anterior, e participação de 21,4% na economia estadual. A atividade de Agricultura, inclusive apoio à agricultura e a pós-colheita beneficiou-se de condições climáticas e de mercado que proporcionaram o bom desempenho da produção nos cultivos do algodão herbáceo em caroço, cana de açúcar, milho e soja.

Destaque ao cultivo do algodão herbáceo em caroço pelo significativo aumento da área plantada, influenciada pela expectativa de manutenção dos bons preços da safra anterior, além do cultivo do milho, cuja demanda apresentou-se firme e com bons preços, em função da entrada de novas usinas de etanol a base de milho e do aumento da capacidade das plantas industriais em funcionamento no período.

Em Pecuária, inclusive apoio à pecuária, cuja variação foi de 10,2%, o rebanho bovino aumentou o plantel e manteve o posto de maior efetivo do país. Ainda na pecuária, houve diminuição do efetivo de aves e suínos para abate e o desempenho das criações sofreu pressões pelo aumento do custo das rações.

A Indústria de Mato Grosso apresentou crescimento de 1,3% e participação de 16,3% na economia do Estado em 2019. A atividade de Indústrias de transformação apresentou queda de 1,1% em volume, apesar do desempenho positivo em volume dos segmentos da indústria de biocombustíveis e de produtos químicos vinculados à produção de defensivos agrícolas.

Em Eletricidade, gás, água, esgoto, atividades de gestão de resíduos e descontaminação houve variação positiva em volume de 8,3%, que elevou sua participação na atividade industrial mato-grossense, e teve crescimento bastante influenciado pela geração de energia elétrica, que vem expandindo-se no estado ao longo dos últimos anos.

A Construção não apresentou variação em volume em 2019, resultado que sucedeu a recuperação da atividade verificada em 2018, após três anos de variação negativa, entre 2015 e 2017.

Os Serviços apresentaram variação positiva em volume, de 2%, e participação de 62,4%, em 2019. As principais contribuições vieram de Comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas, com crescimento em volume de 2,6%, Alojamento e alimentação, com variação de 9,5%, Atividades financeiras, de seguros e serviços relacionados, que cresceu 3,2%, e Serviços domésticos, com variação de 8,1%.

CLIQUE AQUI E VEJA MAIS NOTÍCIAS DE MATO GROSSO

Tagged: , , , ,