Projeto de lei que tramita na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (AL-MT) quer destinar 30% da verba indenizatória de cada deputado para custear despesas relacionadas ao combate à proliferação do novo coronavírus

Verba indenizatória é um benefício pago a cada um dos deputados, no valor de R$ 65 mil. Considerando os 24 deputados, o valor destinado às ações seria de R$ 468 mil por mês. Em um ano, seria o equivalente a R$ 5,6 milhões. 

Autor do projeto, o deputado estadual Wilson Santos (PSDB) afirmou que a pandemia paralisou setores econômicos e que a volta à normalidade exige empenho em cada um dos poderes. 

“Neste momento tão delicado e dramático, em que passa a população, nada mais justo que tais recursos sejam destinados à saúde pública nas medidas de combate ao coronavírus”, afirmou.

Comentário do MT Econômico

Na semana passada foi reprovado o projeto de lei do deputado Ulysses Moraes (PSL) que pedia que 100% da verba indenizatória (VI) fosse destinada às ações do coronavírus, mas 12 deputados foram contrários à proposta e acabou não avançando na Casa de Leis.

O experiente político Wilson Santos tenta articular uma proposta menos impactante para as finanças dos gabinetes dos deputados. 

A pergunta que fica no ar é: será que vão lembrar também do deputado Ulysses Moraes que fez a proposta inicial de destinação de 100% da VI para o combate ao coronavírus ou será que o "pai da criança" do novo projeto, que estabelece 30% da VI, caso seja aprovado, tenha mérito apenas do Wilson Santos?

Enfim, de qualquer forma, é válido os deputados se unirem e pensarem em ajudar nesse momento de pandemia do coronavírus.

Atualmente, cada deputado recebe por mês R$ 65 mil de verba indenizatória (VI) para compensar os gastos feitos no seu mandato.

Leia mais: ALMT mantém atendimento ao público suspenso até 21 de abril

%d blogueiros gostam disto: