FERROVIA

Proposta de renovação da Ferrovia até Cuiabá já foi entregue ao TCU

O comunicado do protocolo junto ao TCU foi feito pelo senador Wellington Fagundes, que tem trabalhado para o avanço da ferrovia para Cuiabá e para a região Norte de Mato Grosso
09-10-2018
Fonte: Redação
Foto: Reprodução

Já foi aprovada pela Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT) e encaminhada ao Tribunal de Contas da União (TCU) a proposta de renovação antecipada do contrato de concessão ferroviária da Malha Paulista da Empresa Rumo para os pareceres finais sobre a questão.
 
O presidente do Fórum Pró-Ferrovia Senador Vicente Vuolo em Cuiabá, secretário municipal de Cultura, Esporte e Turismo, Francisco Vuolo, comemora mais esse avanço, confirmando ainda mais a certeza de que o sonho está cada vez mais se tornando uma realidade.

Esse foi um dos compromissos assumidos na reunião realizada em Brasília, no final do mês de setembro, na qual foram discutidos temas como a renovação da concessão ferroviária do trecho da malha paulista e o avanço da ferrovia Senador Vuolo - de Rondonópolis até Cuiabá, bem como a sua extensão até a região Norte de Mato Grosso. “Somente após a anuência do TCU que a proposta poderá ser assinada. Todos os órgãos envolvidos no assunto manifestaram interesse e emitiram pareceres favoráveis para a chegada do novo modal até Cuiabá”, frisou o presidente.

O comunicado do protocolo junto ao TCU foi feito pelo senador Wellington Fagundes, que tem trabalhado para o avanço da ferrovia para Cuiabá e para a região Norte de Mato Grosso. “A malha paulista é estratégica porque se estende do Mato Grosso, maior produtor de grãos do Brasil, até o Porto de Santos. Esse é um passo fundamental para que a empresa Rumo mantenha até 2058 a concessão do importante corredor de transporte da produção agrícola brasileira”, destacou.

PROJETO - Com a concretização da prorrogação da concessão em 30 anos, a Rumo se compromete a investir R$ 4,7 bilhões na ferrovia mestre, que vai da divisa de Mato Grosso ao porto de Santos, e nas suas bifurcações nos próximos seis anos, o que deve gerar uma expansão da oferta anual de transporte em mais de 100%, das atuais 30 milhões de toneladas para 75 milhões no fim do sexto ano.

“Essa é a primeira vez em que ocorre uma prorrogação de concessão de ferrovia no Brasil, com prazo previsto para exploração da malha ferroviária até 2028. Com a possível prorrogação, a Rumo expande o prazo para 2058 e ganha tempo para amortizar investimentos necessários no ativo”, concluiu Francisco Vuolo.

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS

CADASTRE-SE PARA RECEBER NOTÍCIAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS



FINANÇAS PESSOAIS